Segundo Furnas, a Odebrecht Engenharia e Construção Internacional e sua subsidiária CBPO Engenharia formam o consórcio contratado para a obra na usina de Santa Cruz, que envolverá a implantação de ciclo combinado na unidade.

A UTE Santa Cruz opera atualmente com 350 megawatts em capacidade, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O fechamento do chamado ciclo combinado na usina deve garantir uma potência final de pelo menos 507 megawatts líquidos, segundo documentos da licitação.

A implementação do chamado ciclo combinado na termelétrica Santa Cruz foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ainda em 2002, com previsão de operação a partir de 2006, porém as obras nã seguiram e Furnas recebeu um novo até o final de 2014.

O atraso no avanço do empreendimento levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a multar a empresa em quase 995 mil reais em 2015, uma infração já paga pela estatal.

Agora o canteiro de obras já está pronto e a previsão para o início das obras está para os primeiros meses de 2019.